segunda-feira, 27 de julho de 2009

Dúvidas...


Tava cá eu pensando: por quê? Por que temos tantas perguntas sem respostas??Por que brota em nossas cabeças dúvidas a toda hora, dúvidas onde a certeza já existia??

Sei que a vida é um castelo que se monta aos poucos.. mas com 21 anos acho que esse castelo deveria ter uma base sólida, mas não tem... ou será que tem??

Arrumando meus materiais, achei conversas que tive com colegas ano passado. Colegas queridos, conversas fiadas; quer dizer, nem todas... A maioria tem algo reflexivo, tanto da minha vida, como da pessoa em questão. Dúvida: porquê é tão difícil fazer aquilo que se fala? Dou conselhos de como agir, de como pensar, pontos-de-vistas que tenho, do que acho correto, mas dificilmente os sigo. Sobretudo, ao que se diz ao coração. Será mesmo que sou uma pessoa fria? Ou somente uma pessoa que não sabe demonstrar seus sentimentos?

Tantas e tantas questões surgem em minha cabeça agora: dúvidas (sempre as dúvidas), objetivos, quem sou, alegrias, amigos, inimigos, ódio, indiferença, confiança.

Não conseguirei colocá-los tudo de vez, algumas vezes, irei repetir, mas quero que essas questões sejam respondidas, pelo menos em parte. Sei que as respostas estão em mim, e quero encontrá-las

Bah, não faço isso há anos: meu grande irmão Lucas que me sugeriu, 5 anos atrás, ainda no Liberato, que eu escrevesse tudo o que penso num caderno para depois reler e dar risada do que pensava ,de como agia. Na época, escrevia sobre as dúvidas que mais me atormentavam: amor. Hoje, já vejo que não é só com o amor que devo pensar: existe demais assuntos a relevar, alguns para satisfação pessoal, outro, apenas para refletir sobre meu ponto-de-vista.

Mais uma dúvida: escrevo de que forma meus pensamentos?? Como a “maquinista Velma”, que escreve de forma poética, verdadeira, nunca escondendo suas emoções?? Como o “pequeno Klaus”, usando personagens para interagir com o leitor?? Será que sigo a linha do “contabilista LH”, em forma de poemas, brincando com as palavras e o imaginar das pessoas?? Uma forma frenética e despudorada, com uma entrevista de jogador de futebol, sendo tudo o que brota na cabeça falado (no meu caso, transposto ao papel)?? Ou metódica, como um serial kiler, selecionando pontos a serem pensados e repensados, não deixam rastros e dúvidas para trás??

Terei que decidir isso, mas o tempo é nosso amigo, logo encontrarei uma resposta (ou ao menos assim espero).

Última dúvida: isto tudo não é apenas mais um devaneio meu, por estar trabalhando sozinho aqui no setor, da empresa, com algumas pessoas que só querem puxar meu tapete?

Não, as dúvidas realmente existem, e estão me sobrecarregando de alguma forma... E isso, faz tempo, muito tempo

----

Peço, primeiramente, desculpas pela minha falta de assiduidade aqui no blog. Estava de férias tanto da faculdade quanto do emprego, então, resolvi descansar um pouco. Aos poucos, vamos voltar a rotina.

Segundo, não levem TÃO em consideração esse texto. Como podem ver, ele é antigo, com mais de um ano. Algumas dúvidas foram sanadas, outras não... Mas saibam que estou vivendo um período muito bom em minha vida...

Até mais... o/

3 comentários:

Z Shinoda disse...

Eu espero meu caro amigo que jamais encontre todas as respostas. Porque aquele que não questiona mais nada, simplesmente deixa de viver. A grande complexidade do ser humano é nunca entender a si mesmo. Aí está a grande cartada da vida, o baú de tesouros, o diamante de sangue.

Lolita disse...

Dúvidas são eternas. Você não. Deixe-as de lado e parta para a concretização de seus sonhos... E viva!!!!!!!!!

Luciene Mione disse...

Nossa amei seu blogguer, simplesmente otimo.
Estou te seguindo inclusive...Se der para passar no meu http://pensadoraxd.blogspot.com